All for Joomla All for Webmasters
O homem moderno se orgulha por tantas novidades, por viver no século XXI, pela contemporaneidade do pensamento científico e da revolução digital. Entretanto, ainda está preso a paradigmas arcaicos, dogmáticos e muitas vezes medíocres.

Quanta resistência ainda tem esse homem tão moderno em aceitar o novo, o diferente! Em aceitar e adaptar-se a novas realidades, novas possibilidades de encarar o mundo, de novos conhecimentos e, mais ainda, de aceitar o que não lhe é do dia-a-dia, como a pesquisa científica.

Um bom exemplo disto é a recente polêmica gerada em torno da pesquisa com células-tronco embrionárias. Mas o problema não está na polêmica, que muitas vezes tem papel crucial em fomentar as mudanças de paradigma da sociedade. O problema está nos homens que, muitas vezes, utilizam-se das polêmicas para incitar discussões dogmáticas infrutíferas e impor uma “ordem superior” ou “divina” que todos devem seguir sem questionamentos.

É preciso valorizar o progresso! Sem perder a ética, claro, mas sabendo que esta ética é algo muito maior que qualquer moralismo religioso.

É preciso acompanhar o progresso científico, filosófico e social sem dogmatismos, para não vivermos em uma pseudo-modernidade, adornada de alta tecnologia, porém incutida de valores hierárquico-moralistas engessados.

Também foi um absurdo pesquisar sobre o movimento dos astros e da Terra ao redor do sol, quando já era uma certeza dogmática que a Terra era o centro do universo… Também foi um absurdo herege pensar na evolução das espécies quando se tinha a impositiva certeza de que todas as espécies foram criadas tal qual existem na atualidade… Assim como está sendo considerada um absurdo a pesquisa com as células-tronco embrionárias, tantos outros eventos e descobertas científicas também foram, porém atualmente são imprescindíveis no mundo contemporâneo.

Prefiro ser favorável à vida, e a toda possibilidade de melhorá-la! Prefiro ser favorável ao progresso!
E você? “É você que ama o passado e que não vê que o novo sempre vem”?

Back to top