All for Joomla All for Webmasters

Dia desses comi jiló. Nunca tinha experimentado. E não lembro de ter provado algo tão amargo até então! Sempre ouvia as pessoas dizerem que jiló é amargo. Porém, não podia dizer o mesmo. Não podia nem tirar essa conclusão, já que nunca tinha colocado um pedaço sequer de jiló na boca! Nem conhecia um jiló!

No restaurante, quando vi um prato identificado “jiló em conserva”, decidi provar o “dito cujo” e sentir se realmente era tudo aquilo que as pessoas diziam sobre essa hortaliça. Coloquei um pedaço na boca e pensei: “Não é tão...” Só deu tempo de pensar isso. Logo aquele pedacinho começou a amargar de um jeito que, simplesmente, perdi meu paladar para as outras comidas. Comentei com meu esposo que é preciso muita força de vontade para comer o tal jiló.

Foi assim que comprovei o quanto o jiló é amargo! Só a partir dessa experiência pude concordar com o que ouvia de outras pessoas. Assim é com todas as nossas experiências na vida.

Não podemos tirar a conclusão de alguma coisa a partir do que os outros concluem. “Tal trabalho é humilhante”, “casamento aprisiona”, “filhos atrapalham”... ou tudo isso ao contrário. Foram experiências pessoais, particulares, que levaram a essas conclusões. Não posso discordar. Mas também não devo concordar.

E por mais negativas que sejam as conclusões, algum aprendizado se pode tirar dessas experiências. Mas experimentar é inevitável!

É preferível estar aberto às possibilidades do que simplesmente se fechar a elas por que as experiências não foram positivas para outras pessoas..

É justamente aí que também podemos experimentar, a partir das nossas relações com os experimentos dos outros. Vivemos num emaranhado, um verdadeiro enredo de vivências particulares. E, desses relacionamentos, podemos também tirar conclusões. Se uma experiência não deu certo para o outro, podemos avaliar onde houve um “erro” e fazer diferente. Isso não garante que eu me saia melhor. Mas a minha conclusão pode ser diferente e contribuir para sucesso de outra pessoa na mesma ou numa nova experiência.
E assim nós crescemos e contribuímos com o crescimento dos outros, próximos de nós ou não, no plano físico ou espiritual.

Amarga ou não, as experiências na nossa vida sempre nos dão lições para o nosso bem. Até o jiló, que é tão amargo, é rico em cálcio, fósforo e ferro, vitaminas B5 e C; é indicado para problemas hepáticos e para reduzir o colesterol!

Back to top